Amigos do Crivella


Deixe um comentário

@MCrivella} Pesquisa põe Crivella na frente na briga pela prefeitura

O DIA
O senador Romário é o segundo entre oito possíveis candidatos. Preferido de Eduardo Paes, Pedro Paulo aparece em quinto lugar

Rio – O senador Marcelo Crivella (PRB) lidera pesquisa de intenções de voto para a prefeitura do Rio em 2016, segundo pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas. Ele aparece com 32,2%, seguido pelo senador Romário (PSB), com 27,6%. A margem de erro é de 3,5%, o que os coloca em empate técnico no limite da margem de erro. Nesse caso, são oito possíveis concorrentes (veja quadro abaixo).

odiacrivella

Pesquisa mostra empate técnico

Foto:   Arte O Dia

Atrás de Crivella e Romário está o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), com 13,2%. Em seguida vem a federal Clarissa Garotinho, com 6,5%. O preferido do prefeito Eduardo Paes (PMDB), o secretário executivo de coordenação do governo do Rio, Pedro Paulo (PMDB), tem só 3%.

O levantamento também simulou uma eleição sem o nome de Clarissa Garotinho. Crivella segue à frente (35,3%), Romário em seguida (29,5%), com Freixo em terceiro (13,5%). Pedro Paulo mantém os 3%.
Sem o senador Romário, Crivella dispara: 45,3%. Freixo aparece em segundo, com 18,2%. Mesmo sem o Baixinho, que já admitiu a possibilidade de apoiar o PMDB, Pedro Paulo sobe pouco e fica com 5,6%, atrás de Índio da Costa (5,9%).

A pesquisa detectou o desgaste da presidenta Dilma no Rio: 66,3% disseram que negariam o voto em um candidato apoiado por ela. O ex-presidente Lula também parece estar com o moral baixo: 49,2% rejeitariam um nome apoiado por ele. O Instituto ouviu 908 eleitores de 8 a 12 de julho, e o grau de confiança da pesquisa é de 95%.

ROMÁRIO PRESIDE CPI

Nesta terça, no Senado, foi instalada a CPI da CBF, que investigará denúncias de corrupção na entidade, e Romário indicado para ser seu presidente. O relator será Romero Jucá (PMDB-RR).


Deixe um comentário

Crivella apresenta projeto de lei que pune Planos de Saúde que exigirem autorização prévia

Crivella apresenta projeto de lei que pune Planos de Saúde que exigirem autorização prévia

O senador Marcello Crivella, ao discursar no plenário nesta segunda-feira (13), falou sobre a criação de um projeto de lei que pune representante ou diretor da operadora do plano de saúde ou do hospital prestador de serviço que exija do beneficiário do plano a obtenção de autorização prévia como condição de realização de qualquer atendimento de saúde coberto pelo plano, inclusive internações, consultas, exames e procedimentos.

Segundo o senador, a mudança apresentada vai além da Lei do Plano de Saúde, que tipifica o crime de condicionar atendimento médico-hospitalar emergencial a qualquer garantia. “Acrescentamos, assim, o art. 135, item b, ao Código Penal, com pena de três meses a um ano,” destacou Crivella.

“Se o paciente falecer, então a pena é triplicada. A pena inicial de detenção, três meses a um ano, passa a ser uma pena de três anos, além da multa. É muito importante que nós, do Senado Federal, venhamos a nos debruçar sobre essa medida e a aprovemos, por quê? Ora, porque essa situação de nós causarmos grandes transtornos ao paciente, dificultando, sobremaneira, a obtenção de um serviço que, contratualmente, é do seu direito e já foi pago, antecipadamente – é bom que se diga –, é hoje uma prática ruim e dolosa, uma prática muito prejudicial às pessoas no momento em que elas estão em um instante de fragilidade, ou seja, convalescendo de uma doença, padecendo de uma dor”, disse o senador.

Segundo Crivella, ele atende uma solicitação de um coestaduano ao apresentar o projeto.

Fonte e foto: Ascom senador Marcelo Crivella


Deixe um comentário

Marcelo Crivella critica discussão de ideologia de gênero nas escolas

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) criticou a discussão da ideologia de gênero nas escolas e cobrou a retirada do conteúdo dos planos de educação no país.

Para o senador, a discussão sobre diversidade e orientação sexual é papel da família e não do Estado. Ele disse que o pai e mãe são os responsáveis pela transmissão dos princípios, valores e tradições, cabendo aos professores o ensino, a formação para a cidadania e o preparo para a vida profissional.

Nesse sentido, Crivella também criticou o ensino religioso nas escolas, mas lembrou que é da tradição cristã a defesa da família com os estereótipos dos gênero masculino e feminino.

– Essas coisas têm um valor sagrado. Essas coisas são caras a nós, cujas tradições, princípios e valores são os da família. Daquela família ‘adâmica':  um homem, uma mulher e seus filhos.  E agora com essa discussão de ideologia de gênero nós ficamos sujeitos a deformações, que amanhã poderão ter reflexos muito complexos até de serem avaliados, porque vai dar uma confusão no futuro. E  pior, desautorizar o pai e a mãe na sua autoridade de educador – afirmou o senador.

Agência Senado


Deixe um comentário

Crivella na Marcha para Jesus em São Paulo

Marcha
“O nosso comportamento determina quem nós somos”, diz apóstolo Estevam

“Temos aqui pessoas que podem mudar o futuro do nosso país.

Nós queremos erguer um clamor, porque a morte do Senhor Jesus na cruz foi pra que você tivesse sua vida restaurada.

O nosso comportamento determina quem nós somos, e nós somos um povo lavado e remido pelo sangue do Cordeiro.

Os sons aqui não teriam sentido se você não sentisse a presença do Espírito na tua vida. Nós precisamos louvar a Deus em Espírito e em verdade.”, clama Apóstolo Estevam Hernandes.


Deixe um comentário

Pesca: a ausência de Crivella

João Lyra Neto – Jornalista do Tribuna do Norte

Não se pode deixar de falar do ex-ministro Marcelo Crivella, pelo que fez em favor da pesca no Nordeste. Foi um Ministro da melhor qualidade, apoiando na solução do seu trabalho, pela presidente Dilma. A pesca é uma atividade da maior importância para o Nordeste. É feita com dificuldade pelos que a ela se dedicam. Ela muito representa não só para a população de baixa renda como para as classes média e alta.

A pesca da tilapia representa um tipo de pescado aprovado pela população de Natal e Recife. O Salmão e o Atum figuram como elementos principais na linha de exportação. São dois peixes de grande aceitação. A região sul se apresenta em primeiro luar com essa atividade. Os recursos para assistência a pesca, são melhor obtidos. E a ação dos bancos o maior suporte.

O Nordeste, na gestão do ex- ministro Marcelo Crivella, sempre mereceu atenção na solução dos problemas. Para agilizar a situação o ex-ministro veio à Natal empenado em resolver os problemas mais complexos. Sacrificado pela ação impiedosa da seca, o Rio Grande do Norte, precisava desenvolver essa atividade. O Terminal Pesqueiro é de muita importância para Natal. Os empresários devem pensar no que isso representa.

No Rio Grande do Norte existe uma importante e enorme área para a cultura do camarão, gerando bons resultados para seus criadores. Embora sendo uma atividade diferente da pesca, ela merece a atenção dos que exploram o seu comércio. Afirma uma articuladora da rede de pesca que, nas ressalvas sobre a sustentabilidade desse programa.

A preocupação principal é a ordenação das áreas. O Ministério da Pesca tem agido no sentido de ajudas as atividades de pequeno porte. Atividade, pela importância que ela tem que merece atenção nessa luta em prol da pesca.

Na gestão operosa da Governadora Wilma de Faria, havia o interesse em colocar a ação do Estado em favor do Terminal Pesqueiro e exigir trabalho em favor da pesca. Salientam os estudiosos que é uma vergonha o Brasil ter pouco mais de um milhão de toneladas de pescado por ao quando o Peru tem uma produção de mais de nove milhões de toneladas desse produto. Isso, foi uma das preocupações do ex-ministro Crivella, especialmente no Nordeste, onde as condições são incompatíveis com o Sul.

Quanto a recursos, o Governo Federal definiu uma pronta-ajuda ao pescador chamado “Plano Safra”. Isso deu oportunidade de melhorar à atividade. O Nordeste mereceu, com a decisão do Governo, ter maior condição de pesca. A ação do ex–ministro Marcelo Crivella foi importante para a conquista do “Plano Safra”, linha de empréstimo ao pescador.


Deixe um comentário

@MCrivella apresenta projeto alternativo para trabalho terceirizado

Contrário ao projeto de lei complementar 30, que dentre outros malefícios, permite a terceirização nas atividades-fim das empresas, o senador Marcelo Crivella pediu nesta terça-feira (19), a rejeição da proposta que está em análise no Senado e apresentou um novo projeto que restringe a terceirização as atividades-meio.

Segundo, Crivella o PLC 30 é um projeto desumano que desvaloriza as conquistas trabalhistas. “Nesse momento da nossa economia nós vamos colocar o trabalhador numa situação de extrema precarização, ou é o desemprego ou é o salário aviltado. Não é esse o caminho para construirmos um Brasil melhor”, ressaltou.

Em seu discurso, Crivella disse que a terceirização das atividades-fim quebra a isonomia constitucional devida ao trabalhador e permite que a empresa principal  contrate a empresa terceirizada para a redução dos seus custos.

“É óbvio que a empresa terceirizada repassará ao trabalhador apenas parte do que recebeu. É um jogo de somativa negativa, na qual o trabalhador sempre perderá”, afirmou o senador.

 Crivella também apresentou dados do Dieese e do Ministério do Trabalho, que apontam que o salário dos terceirizados é, na média, 24% menor que o dos empregados formais. Esses trabalhadores também não gozam de benefícios como participação nos lucros, auxílio-creche e jornada de seis horas, nas empresas em que tais benefícios existem. Segundo o senador eles ainda trabalham, em média, três horas a mais por semana do que os empregados fixos.

Novo Projeto

A proposta apresentada por Crivella corrige distorções do Projeto da Câmara. Dentre outras inovações, restringe a terceirização às atividades-meio; veda a quarteirização, como maneira de evitar a precarização das relações de trabalho; aumenta a responsabilidade solidária do tomador dos serviços, que também passa a ser responsável pelas obrigações trabalhistas e previdenciárias relativas aos terceirizados.

Além disso, garante a portabilidade dos períodos aquisitivos e concessivos de férias em caso de terceirização sucessiva, ou seja, aquela em que as contratações acontecem antes da aquisição do direito às férias.