Amigos do Crivella


Deixe um comentário >

Defesadosevangelicos

ARTIGO publicado no Jornal FOLHA DE SÃO PAULO

HTTP://WWW1.FOLHA.UOL.COM.BR/OPINIAO/2015/08/1674058-PRECONCEITO-RELIGIOSO.SHTML

Transcrição 

MARCELO CRIVELLA

Preconceito religioso

27/08/2015 

Há cerca de um ano a imprensa noticia com destaque a chamada Operação Lava Jato, conduzida pela Justiça Federal e pelo Ministério Público. Como se sabe, trata-se de um hediondo conjunto de casos de corrupção que envolve funcionários, empresários, políticos e seus chamados “operadores”, tendo a Petrobras como principal vítima. A repetição das decisões judiciais e das operações policiais é exaustiva.

Esse noticiário incessante estigmatiza o Brasil de país essencialmente corrupto, com instituições displicentes, despreparadas, incompetentes e, talvez, coniventes. Para manter a atenção da população, parte da imprensa brasileira eleva o tom, o que lhe faz correr o risco de resvalar para a intolerância, a truculência e as insinuações.

A quem interessa generalizar de modo irresponsável nossas mazelas e infortúnios, lançando a classe política na vala comum, levando o povo a descrer de todos os seus líderes e até mesmo de se envergonhar de ser brasileiro?

Sou um político ficha limpa, mas não consigo me empolgar com a desgraça alheia, tampouco crescer subindo nas costas dos outros.

Essa máquina de moer reputações acaba de envolver a igreja Assembleia de Deus na Operação Lava Jato por ter, supostamente, recebido propina. Estamos diante, mais uma vez, de um primitivo sentimento antirreligioso contra evangélicos.

Entre as pessoas comprovadamente envolvidas nos crimes, há praticantes das mais diversas religiões, sem que isso –felizmente– tenha sido objeto de interesse. As igrejas que eles frequentam –felizmente– nunca foram objeto de interesse jornalístico.

No caso de um personagem evangélico, porém, foram publicados o nome e a fotografia da igreja, assim como a identidade de seus dirigentes. Repórteres fizeram plantão em frente a um local de culto.

O motivo alegado para tal ato: a conta dessa igreja recebeu dinheiro de uma empresa investigada no escândalo. Alto lá! A doação é de 2012 e à época ninguém cogitava os escândalos apurados pela Operação Lava Jato. Mas não importa que ninguém soubesse que a oferta poderia ter relação com algum crime.

A própria informação, aliás, é inverossímil: por que alguém tentaria “lavar” dinheiro por meio de uma igreja que não contrata consultorias, palestras e serviços afins? Como se daria essa triangulação?

As doações foram feitas em 31 de agosto de 2012. Teriam sido usadas para a compra de votos em favor de um deputado. Naquele ano, porém, o deputado não disputou eleição alguma. A igreja não sabia que o doador poderia estar envolvido em negócios escusos nem recebeu recursos em troca de apoio eleitoral.

O último Censo do IBGE, de 2010, mostrou que Assembleia de Deus tinha naquele ano 12 milhões de membros espalhados pelo território brasileiro. São dezenas de milhares de templos e centenas de milhares de pastores, diáconos e obreiros. Não é justo atingi-los, na figura de seus líderes. Nenhum deles sabia nada sobre o preço de navios-sonda coreanos superfaturados encomendados pela Petrobras.

Acusações apressadas e descabidas se tornam avalanche de infâmia e calúnia, detratando a honra de inocentes e estraçalhando o mais sagrado dos direitos, o respeito à dignidade da pessoa humana.

MARCELO CRIVELLA, 57, bispo licenciado da igreja Universal do Reino de Deus, é senador pelo PRB-RJ. Foi ministro da Pesca e Aquicultura (governo Dilma)


Deixe um comentário

HIPOCRISIA

Certa vez o Senhor Jesus chamou os religiosos de hipócritas.  É um termo muito forte, mas muito corriqueiro.  Vemos por todo o Brasil manifestações contra a corrupção, que é coisa hedionda e precisa ser combatida.  Contudo, precisamos ser humildes para primeiro tirar a trave de nossos olhos para depois tirar o argueiro do outro.  Se cada um de nós fizesse o que é certo, daríamos uma grande contribuição para o nosso país.  Talvez você se sinta ofendido e diga que jamais cometeu qualquer tipo de corrupção.  Então vejamos.
1) Quando não se declara na alfandega algum produto que deveria ser declarado, está-se sonegando imposto.
2) Quando um atestado médico falso é entregue para justificar uma falta no trabalho, está-se cometendo o crime da fraude
3) Quando se assiste a um DVD pirata ou adquire-se um programa de computador pirata, comete-se um crime.
4) Quando se ultrapassa o limite de velocidade, fura-se um sinal vermelho ou paramos em local proibido, estamos infringindo a lei.

Temos em nosso país a cultura da ” Lei do Gérson”, de tirar vantagem em tudo.  Lembro da época em que meu marido servia ao quartel e algumas esposas de oficiais vinham se gabar de terem passado a perna no feirante, ao trazer para casa 14 laranjas ao invés de uma dúzia!!!

Talvez você diga que nunca cometeu nenhum dos delitos acima e isso é muito louvável, mas a Bíblia diz que não há um justo sequer e que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.  Quando um homem olha para uma mulher com malícia (e vice versa), diz a Bíblia que tal pessoa cometeu adultério em seu coração. Pecado também é corrupção.  Um coração corrupto armazena mágoas, invejas, ódios…. Uma mente corrupta maquina o mal, arquiteta fofocas e tem pensamentos escusos. Uma mentira “branca” também é engano.

O Senhor Jesus certa vez  foi colocado à prova quando os fariseus lhe trouxeram uma mulher pega em flagrante adultério.  Segundo a Lei Mosaica aquela mulher deveria ter sido apedrejada, mas o Mestre do Amor, conhecedor da natureza humana, disse que atirasse a primeira pedra quem não tivesse pecado.  Um a um daqueles acusadores, acusados por suas consciências, saiu envergonhado. E aí vem a mais estupenda afirmação de amor Daquele que era o único que poderia jogar uma pedra. ” Nem eu tampouco te condeno.  Vai e não peques mais.”

Hoje queremos jogar pedras no governo e nos governantes, mas não queremos que nossos erros venham à luz.  Para construirmos um país forte e próspero, precisamos ensinar pelo exemplo.  Se justificamos nossos erros por causa dos erros de nossos líderes, caimos num ciclo vicioso que fortalece o status quo.

Sylvia Jane Crivella 

Deus abençoe!


Deixe um comentário

Em Niterói, Crivella debate com o setor a crise na indústria naval

O senador Marcelo Crivella participou, na manhã desta nesta sexta-feira (07), em Niterói, do Fórum de Debate sobre a Crise na Indústria Naval promovido pela Associação Conselho Empresarial Naval – Offshore e Serviços de Niterói (Asscenon). No evento, foram discutidos e avaliados os graves problemas que hoje afetam diretamente as áreas de construção e reparo tanto naval quanto offshore e de serviços nos municípios de Niterói e São Gonçalo. Também foram destacadas as dificuldades existentes com ênfase no maior problema para o setor: a dragagem.
Participaram do Fórum o Sr. Elizio Fonseca, presidente da Asscenom; o Dr. Mauricio Almeida, representando o estaleiro Mac Laren; o Sr. Fabiano Gonçalves, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico; Sr. Edson Rocha, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos; Sr. Domenico Accetta, diretor-adjunto do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias; Sr. Paulo Cunha, representante do Instituto Estadual do Ambiente (INEA); e Sra. Maria Cristina, subsecretária de Indústria Naval de Niterói.

 


Deixe um comentário

05 de agosto – Dia Nacional da Saúde

diadasaude

No dia 05 de agosto, comemora-se o Dia Nacional da Saúde. A data rememora o dia do nascimento do grande sanitarista Oswaldo Cruz. Além da inestimável contribuição na erradicação de epidemias de peste, febre amarela e varíola, contribuiu para a estruturação das ações de saúde pública no Brasil, para a criação do Instituto Soroterápico Federal (hoje Fundação Oswaldo Cruz) e para a fundação da Academia Brasileira de Ciências.

No início do século XX, as grandes enfermidades que acometiam a população brasileira eram as doenças infecciosas, principalmente a febre amarela e o cólera. Quase 100 anos após a morte de Oswaldo Cruz, o panorama sanitário brasileiro teve grandes mudanças, especialmente na cidade do Rio de Janeiro onde o eminente sanitarista viveu a maior parte de sua vida.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disponibiliza em sua página na internet um link com o perfil da saúde de seus países membros. Eis alguns indicadores da saúde do Brasil:

Indicadores (ano 2007)

Percentual da população habitando áreas urbanas: 85%;
Expectativa de vida homens: 70 anos;
Expectativa de vida mulheres: 76 anos;
Expectativa de vida saudável: 64 anos;

Percentual de anos de vida perdidos por saúde: 25% por doenças transmissíveis, 55% por doenças não transmissíveis e 20% por acidentes.

Indicadores (ano 2000)

–    Percentual de nascimentos atendidos por pessoal da área de saúde: 97%;
–    Número de médicos por 10 mil habitantes: 12;
–    Número de enfermeiros/parteiros por 10 mil habitantes: 38;
–    Percentual de adultos masculinos obesos: 9%;
–    Percentual de adultos femininos obesos: 13%.

O Ministério da Saúde do Brasil (MS) disponibiliza informações de saúde na página do Departamento de Informática do SUS na internet (DATASUS). No endereço eletrônico é possível obter informações de saúde por região, estado e município.

Qualquer intervenção em saúde é antecedida por uma avaliação criteriosa de informações relacionadas à população, aos serviços de saúde, aos recursos humanos, entre outras. A coleta sistemática de dados é o primeiro passo para a organização de sistemas de saúde eficientes.

No Dia Nacional da Saúde, a COI celebra a memória de um dos grandes nomes da saúde pública no país e reforça a necessidade de aprimoramento contínuo dos sistemas de informação para que as ações de saúde sejam eficientes, efetivas e justas.

Feliz Dia Nacional da Saúde!


Deixe um comentário

@MCrivella} Pesquisa põe Crivella na frente na briga pela prefeitura

O DIA
O senador Romário é o segundo entre oito possíveis candidatos. Preferido de Eduardo Paes, Pedro Paulo aparece em quinto lugar

Rio – O senador Marcelo Crivella (PRB) lidera pesquisa de intenções de voto para a prefeitura do Rio em 2016, segundo pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas. Ele aparece com 32,2%, seguido pelo senador Romário (PSB), com 27,6%. A margem de erro é de 3,5%, o que os coloca em empate técnico no limite da margem de erro. Nesse caso, são oito possíveis concorrentes (veja quadro abaixo).

odiacrivella

Pesquisa mostra empate técnico

Foto:   Arte O Dia

Atrás de Crivella e Romário está o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), com 13,2%. Em seguida vem a federal Clarissa Garotinho, com 6,5%. O preferido do prefeito Eduardo Paes (PMDB), o secretário executivo de coordenação do governo do Rio, Pedro Paulo (PMDB), tem só 3%.

O levantamento também simulou uma eleição sem o nome de Clarissa Garotinho. Crivella segue à frente (35,3%), Romário em seguida (29,5%), com Freixo em terceiro (13,5%). Pedro Paulo mantém os 3%.
Sem o senador Romário, Crivella dispara: 45,3%. Freixo aparece em segundo, com 18,2%. Mesmo sem o Baixinho, que já admitiu a possibilidade de apoiar o PMDB, Pedro Paulo sobe pouco e fica com 5,6%, atrás de Índio da Costa (5,9%).

A pesquisa detectou o desgaste da presidenta Dilma no Rio: 66,3% disseram que negariam o voto em um candidato apoiado por ela. O ex-presidente Lula também parece estar com o moral baixo: 49,2% rejeitariam um nome apoiado por ele. O Instituto ouviu 908 eleitores de 8 a 12 de julho, e o grau de confiança da pesquisa é de 95%.

ROMÁRIO PRESIDE CPI

Nesta terça, no Senado, foi instalada a CPI da CBF, que investigará denúncias de corrupção na entidade, e Romário indicado para ser seu presidente. O relator será Romero Jucá (PMDB-RR).


Deixe um comentário

Crivella apresenta projeto de lei que pune Planos de Saúde que exigirem autorização prévia

Crivella apresenta projeto de lei que pune Planos de Saúde que exigirem autorização prévia

O senador Marcello Crivella, ao discursar no plenário nesta segunda-feira (13), falou sobre a criação de um projeto de lei que pune representante ou diretor da operadora do plano de saúde ou do hospital prestador de serviço que exija do beneficiário do plano a obtenção de autorização prévia como condição de realização de qualquer atendimento de saúde coberto pelo plano, inclusive internações, consultas, exames e procedimentos.

Segundo o senador, a mudança apresentada vai além da Lei do Plano de Saúde, que tipifica o crime de condicionar atendimento médico-hospitalar emergencial a qualquer garantia. “Acrescentamos, assim, o art. 135, item b, ao Código Penal, com pena de três meses a um ano,” destacou Crivella.

“Se o paciente falecer, então a pena é triplicada. A pena inicial de detenção, três meses a um ano, passa a ser uma pena de três anos, além da multa. É muito importante que nós, do Senado Federal, venhamos a nos debruçar sobre essa medida e a aprovemos, por quê? Ora, porque essa situação de nós causarmos grandes transtornos ao paciente, dificultando, sobremaneira, a obtenção de um serviço que, contratualmente, é do seu direito e já foi pago, antecipadamente – é bom que se diga –, é hoje uma prática ruim e dolosa, uma prática muito prejudicial às pessoas no momento em que elas estão em um instante de fragilidade, ou seja, convalescendo de uma doença, padecendo de uma dor”, disse o senador.

Segundo Crivella, ele atende uma solicitação de um coestaduano ao apresentar o projeto.

Fonte e foto: Ascom senador Marcelo Crivella